194 baianos resgatados de trabalho escravo na Serra Gaúcha voltam à Bahia

Eles embarcaram em ônibus em Bento Gonçalves e devem chegar na próxima segunda

Por: Redação 1
25, fev. de 2023 às 17:00 • Atualz. 27, fev. de 2023 às 17:03
Siga-nos no Google News
194 baianos resgatados de trabalho escravo na Serra Gaúcha voltam à Bahia

Os 194 baianos que foram resgatados de trabalhos análogos à escravidão durante uma operação policial na quarta-feira (22), em vinícolas da Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul, já estão a caminho da Bahia. Eles embarcaram na noite de sexta-feira (25).

Os trabalhadores que viajam com destino à Bahia se emocionaram ao se despedirem dos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que receberam a denúncia. Eles devem chegar à Bahia na próxima segunda-feira (27).

Quatro optaram por continuar em Bento Gonçalves. Eles atuavam na colheita e carga e descarga da uva, segundo o MTE.

Thank you for watching

Além de vinícolas, os trabalhadores resgatados trabalhavam para 23 proprietários rurais que contratavam serviços de trabalhadores resgatados em Bento Gonçalves. 

Os trabalhadores contaram para aos policiais que foram contratados para trabalhar em vinícolas, colhendo uvas em Caxias do Sul. Foi garantido ao grupo salário de R$ 3 mil, acomodação e alimentação. Na chegada, contudo, encontraram condições desumanas.

Eles receberam R$ 500 de verbas rescisórias antes do embarque, e o restante será depositado na segunda-feira (28) por depósito bancário.

De acordo com os relatos, os trabalhadores foram colocados em um alojamento em condições precárias, mal iluminado e com ventilação escassa. Durante as refeições, recebiam alimentação estragada. Os salários era pagos com atraso, e as vítimas contaram que eram coagidas a permanecer no local, sob pena de pagamento de multa por quebra do contrato de trabalho.

Havia longas jornadas de serviço e também castigos físicos, narraram as vítimas. Uma arma de choque e um spray de pimenta foram apreendidos no local. A PRF divulgou um vídeo nas redes sociais do momento em que os trabalhadores foram resgatados. Uma das vítimas descreveu as condições em que vivia.

Bastante conhecidas no mercado, as três vinícolas para quem os trabalhadores prestavam serviços terceirizados de colheita - Aurora, Garibaldi e Salton - se disseram surpreendidas com o resgate e afirmaram que não compactuam com as práticas flagradas pela PRF.  

Outro trabalhador contou ao agentes rodoviários  federais que direitos básicos eram ignorados. “Não respeitavam quando a gente ficava doente e tratavam a gente que nem cachorro. Viemos para trabalhar e nos matar, porque a gente saia cedo e voltava bem tarde”, desabafou.  

Escapada de trio deu origem a cerco da PRF 
O crime só foi descoberto por que três trabalhadores conseguiram fugir. Foram eles que alertaram os agentes da PRF de Bento Gonçalves que viviam em regime semelhante à escravidão e que foram mantidos contra a vontade no alojamento. Os policiais acionaram outras instituições e  decidiram montar uma operação.

O flagrante aconteceu na quarta-feira à noite, durante ação da PFR em conjunto com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e a Polícia Federal. O responsável pela empresa, que possui contratos com vinícolas da região, foi preso e levado para a PF de Caxias do Sul. 

Depois, o suspeito foi transferido para um presídio em Bento Gonçalves, mas acabou liberado após pagar fiança e R$ 40 mil. O nome dele não foi divulgado. Também baiano, ele tem 45 anos e é natural de Valente, no Nordeste do estado.

Relembre casos de trabalho escravo na Bahia que tiveram repercussão

7 de dezembro de 2022 - Uma mulher de 59 anos foi resgatada pela Auditoria Fiscal do Trabalho, em São Gonçalo dos Campos, a poucos quilômetros de Feira de Santana. Ela residia no local de trabalho há quase 35 anos, fazia todo o serviço doméstico, sem nunca ter recebido salário nem qualquer outro direito trabalhista.

12 de agosto de 2022 - Uma mulher foi resgatada de um trabalho abusivo na cidade de Santa Teresinha, no Recôncavo baiano. Ela trabalhava como empregada doméstica, porém, em condições análogas à de escravidão, há 12 anos, em uma casa que abrigava um bar e também era abrigo para idosos;

18 de julho de 2022 - A inspeção do trabalho na Bahia realizou ações fiscais de combate ao trabalho análogo ao de escravo em 37 empregadores em todo o estado. Dos 400 trabalhadores alcançados, mais da metade se encontravam sem registro, e 25 foram resgatados no município de Barra do Choça, no Sul da Bahia.

Março de 2021- Madalena Santiago da Silva, 62 anos, foi resgatada depois de trabalhar 45 anos como empregada doméstica sem receber salários em Lauro de Freitas, na região metropolitana. Ela teve os dados usados para contratar empréstimos, sofreu maus-tratos e injúria racial. A Justiça do Trabalho bloqueou R$ 1 milhão em bens da família para pagamento de danos morais e verbas rescisórias.

Fonte: Correio



Siga o MonteSanto.net no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Serviços de água, luz e telefonia lideram reclamações no Procon-BA

Cadastro de Reclamações Fundamentadas de 2022 registrou 4.584 queixas; varejistas também foram acionados pelos consumidores

Carregando..