Cientistas Internacionais fazem pesquisa com Claudio Vieira, morador de Monte Santo

Com braços colados no peitoral e a cabeça virada para trás, Montesantense Claudio Vieira é tema de Pesquisa Internacional, pesquisa em desenvolvimento pode ajudar a compreender porque algumas pessoas com transtornos do espectro autista (TEA) têm dificuldade em reconhecer rostos

Por: Redação 1
26, set. de 2023 às 11:04 • Atualz. 26, set. de 2023 às 11:07
Siga-nos no Google News
Cientistas Internacionais fazem pesquisa com Claudio Vieira, morador de Monte Santo

Cláudio Vieira de Oliveira, um brasileiro que mora na cidade de Monte Santo, no sertão da Bahia, ajudou pesquisadores do Dartmouth College, dos Estados Unidos, a terem novas pistas sobre como o cérebro armazena informações sobre os rostos das pessoas.

A pesquisa em desenvolvimento pode ajudar a compreender porque algumas pessoas com transtornos do espectro autista (TEA) têm dificuldade em reconhecer rostos, por exemplo.

Claudinho, como ficou conhecido, tem a doença Artrogripose Múltipla Congênita (AMC), que restringe a amplitude de movimento nas articulações. Ele nasceu com as pernas atrofiadas, os braços colados ao peitoral e a cabeça virada 180° para trás.

A maioria das pessoas tem dificuldades em processar informações em rostos quando está de cabeça para baixo, um fenômeno conhecido como efeito de inversão de face. “Isso afeta quase todos os aspectos da percepção facial – identidade, leitura das expressões faciais das pessoas, decisão se alguém é atraente”, explicou Brad Duchaine, do Dartmouth College, em um comunicado.

Cláudio, no entanto, demonstra níveis semelhantes de percepção quando precisa identificar rostos em imagens, independentemente de serem mostradas na vertical ou de cabeça para baixo.

Estudo sobre a percepção dos rostos

Além de Cláudio, o estudo contou com a participação de outras 22 pessoas que normalmente mantêm a cabeça ereta, para testar a capacidade de percepção facial delas. Os voluntários deveriam responder se duas imagens – uma apresentada de perfil lateral e outra mostrando o rosto completo – eram da mesma pessoa.

Cláudio deu respostas corretas em 61% das vezes que foi apresentado a rostos na vertical, e 68% das vezes em que eles estavam invertidos. Para o grupo controle, a percepção foi de 83% e 64% respectivamente, demonstrando maior dificuldade em identificar rostos invertidos.

Para os cientistas, isto sugere que a forma como reconhecemos rostos se deve a fatores evolutivos, bem como a experiências pessoais. A melhor pontuação de Claúdio para reconhecer os rostos vidados de cabeça para baixo foi importante para confirmar a capacidade de adaptação.

Fonte: metropoles



Siga o MonteSanto.net no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Jornal A TARDE rebate Nota da Prefeita e afirma que ela escondeu da população que TCM questionou Suposto Superfaturamento de R$ 8 MILHÕES

O Jornal A TARDE desta segunda-feira rebateu a nota da prefeita Silvânia Matos, o Jornal concedeu a prefeita um selo do "Carrasco" e afirmou que a nota da prefeita que tentou desmentir o trabalho investigativo do jornal, na verdade escondeu da população que auditores do TCM já haviam questionado empresa envolvida em Suposto Superfaturamento de R$ 8 MILHÕES durante o processo de aprovação das contas da gestão municipal.

Carregando..